15 de março de 2009

Apaixonar-se é um delito.

Num mundo onde somos obrigados a conter nossos sentimentos, e apelar para máscaras que funcionam como barreiras pra que o louco mundo sensível não seja demonstrado, o amor parece um crime.
Com a configuração moderna regida pelo slogan “pego mas não me apego”, apaixonar parece mais absurdo ainda.
Tão absurdo que, quando acontece, você fala coisas do tipo mas como você deixou isso acontecer?”você sabia que era algo passageiro!”
como se emoção fosse tão controlável assim.
Pior ainda é ser apontado como errado quando simplesmente a pessoa deixa de ser vista como objetinho, e ganha um lugar especial nos seus pensamentos e coração (ooownnn que gaay!).
Um sentimento tão bom pode ser considerado um defeito a ponto de tornar negativo?
Ah, crime é mentir pra si mesmo, isso sim.
Fingir que é inatingível, inabalável, não-apaixonante ou não-apaixonável.
Crime é jogar sentimentos, sensações e oportunidades pra debaixo do tapete ou pela janela(o que no meu caso é fácil).
É arriscado admitir uma paixãozona, uma paixonite, um amor platônico ou até uma paixão inalcançável ( passei do momento de admitir,estou agora no contar tudo).
E justamente por isso, paixões são pra poucos e fracos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Caramba!
Paguei pra esse post. Saiu tudo da tua caxola mesmo???
sabe o que é ler e concordar com TUDO?!
foi tão lindo *.*

Raira disse...

Lindo demais,concordei mesmo com tudo.Quando estás apaixonada tudo sai nos conformes!